Selo Belo Horizonte, Minas Gerais

Buscando por Selo em Belo Horizonte? Encontre aqui endereços e telefones de profissionais especializados em Belo Horizonte que podem te ajudar a encontrar Selo em sua cidade. Aproveite para conseguir dicas e mais informações sobre Selo com nossos artigos educativos.

Bh Toys Ltda
(31) 3413-7565
Rua Costa Senna 956
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Campos e Silva Brinquedos
(31) 3451-7165
Rua Padre Pedro Pinto 1500 box 155
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Pbkids Brinquedos
(31) 3330-8805
Avenida Olegário Maciel 1600
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Hfl
(31) 3271-2629
Rua dos Carijós 141 s 1105
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Chicco do Brasil Ltda
(31) 3335-1043
Avenida Olegário Maciel 1600 - 49D lj 20
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Rei dos Brinquedos
(31) 3222-0325
Avenida Getúlio Vargas 506
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Traquitana
(31) 3225-5020
Rua Major Lopes 63
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Coisas e Ideia
(31) 3223-8306
Rua Francisco Deslandes 529 lj 02
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Lojas Brinkare
(31) 2516-7786
Avenida Afonso Pena 920
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Brincar Kid's
(31) 3201-8560
Avenida Oiapoque 156 - 3 box 226 pd J
Belo Horizonte, Minas Gerais
 

Selo

Os selos são verdadeiras adorações para quem os coleciona. Não importa de onde, nem de quando: colecionar selos é uma paixão mundial e bastante antiga. Por isso, se você é um colecionador de selos, confira abaixo informações e dicas de compras de Selos.



Pesquise Preços de Lojas de Selo
Selos diversos





Tabela de conteúdo
1 Guia de Compras de Selo
1.1 O que são Selos Filatelia?
1.2 Como os selos surgiram no Brasil?
1.3 Quais são os principais tipos de selos?
1.4 Com relação aos selos diferenciados, quais são os principais tipos?
1.5 Como iniciar uma coleção de selos?
1.6 O que devo saber para colecionar selos?
2 Produtos Relacionados

Guia de Compras de Selo
O que são Selos Filatelia?
FILATELIA é uma palavra composta de origem grega que significa:
PHILOS = amigo e ATELEIA = isenção de taxas.
Por esta razão FILATELISTA significa o amigo do selo ou da marca.
O primeiro selo foi o selo negro de um penny (one penny black), surgido na Inglaterra em 6 de Maio de 1840. A ideia foi de Sir Rowland Hill, membro do Parlamento do Reino Unido, para que fosse o remetente a pagar a tarifa, pois antes da criação do selo, o destinatário é que a pagava, criando um enorme número de devoluções.

Como os selos surgiram no Brasil?
Antes do selo postal ser adotado, a correspondência era conduzida por estafetas que hoje são chamados de carteiros, e paga no destino de acordo com a distância percorrida. Pagava-se 10 réis para cada 15 léguas percorridas para entregar uma correspondência. Em 1829 foi fixado um valor máximo de 200 réis para o primeiro porte. Esta foi a primeira medida socialmente relacionada com o pagamento das cartas. Como antes de 1843 quase não existiam envelopes, o remetente empregava uma folha de papel dupla e após redigir a mensagem, esta era dobrada adequadamente e fechada com um lacre no verso. A filatelia brasileira chama esta mensagem de sobrecarta. O estafeta conduzia esta mensagem até o destinatário e o anotava sobre o lado externo, à tinta, o valor pago no destino. A missiva recebia no seu exterior um carimbo que indicava a procedência e os eventuais pontos de trânsito desta correspondência. Estas peças são chamadas de Pré-Filatélica e são colecionadas de acordo com os carimbos de saída e de trânsito. A lei nº 243, no artigo 17 de 30 de Novembro de 1841, autorizou a reforma dos Correios.
Em 3 de Novembro de 1842 foi enviada pelos Srs. Bernardo Pereira de Vasconcellos e José Cesário de Miranda Ribeiro, a proposta de reforma da qual destacamos: No cálculo dos portes só se atenderá ao peso das cartas. Não serão estes pagos nos Correios, que as entregarem, mas adiantadas nos que as receberem, por meio de papel selado do tamanho de uma pequena moeda de prata, vendido por quem a Autoridade designar e colado no sobrescrito das cartas . O Brasil foi o segundo país a emitir um selo postal, depois da Inglaterra. No dia 1 de Agosto de 1843, o Império lançou os primeiros selos brasileiros, a série chamada Olho-de-boi, com os valores de trinta, sessenta e noventa Réis. O porte era pago adiantado e por outro lado muitos usuários, acostumados a pagar as cartas recebidas, não sabiam destas alterações.
Como em todo o mundo, no Brasil, também existiam os espertinhos, que através de alguns estafetas arrancavam os selos (Olhos de boi) que mediam cerca de 3,5 X 3,5 cm e cobravam a missiva duas vezes, diluindo desta forma a receita dos Correios. O Inspetor da Tesouraria de Sergipe, conhecedor deste fato, escreveu para o Diretor dos Correios no Rio de Janeiro, sugerindo que o Selo Postal brasileiro fosse menor e em papel mais fino, surgindo então no ano de 1844 os selos conhecidos como Inclinados, primeiramente nos papéis remanescentes do Olho de Boi e posteriormente em papéis finos provenientes da Inglaterra.

Em 1850 surge a série Olhos-de-cabra e os Olhos-de-gato em 1854 (abaixo).


Em 1866 o Brasil realiza mais uma grande reforma postal aumentando o porte de uma carta simples de 60 Réis para 100 Réis e para atender aos novos portes, lança os selos com a efígie do imperador Dom Pedro II, estes selos foram produzidos pela American Bank Note Co. de Nova Iorque. No ano de 1881 os selos voltam a ser impressos no Brasil. Quanto aos selos comemorativos, os primeiros foram emitidos em 1900, em comemoração ao 4º Centenário do Descobrimento do Brasil e em 1906 foram feitas emissões comemorativas com repercussão no exterior, celebrando o 3º Congresso Pan-Americano. Em 1920, foi criado o serviço aéreo, que teve selos exclusivos no período de 1927 a 1934. Em 1938, em comemoração à 1ª Exposição Filatélica Internacional - BRAPEX, no Rio de Janeiro, foi lançado o primeiro bloco comemorativo.
A grande maioria dos selos comemorativos brasileiros tinha impressão em uma só cor, até 1968, com as mesmas técnicas e deficiências dos selos ordinários. A partir daí, surgiram melhorias significativas no processo de impressão, principalmente no que se referia ao tipo de papel, às técnicas utilizadas e aos mecanismos de segurança contra falsificações. Com o surgimento da ECT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, em 1969, artistas plásticos e desenhistas promissores foram contratados para melhorar a qualidade das nossas emissões comemorativas e a Casa da Moeda (inicialmente os selos eram emitidos pelo American Bank Note - NY) foi reequipada para garantir uma impressão compatível com o novo padrão, além de providências para incrementar a Filatelia no país. Com a modernização, em sua concepção artística, os selos brasileiros tornaram-se mais atraentes e competitivos, obtendo importantes prêmios internacionais. Entre as emissões premiadas o bloco São Gabriel Padroeiro dos Correios (1973), o selo Imprensa - Bicentenário de Hipólito da Costa (1974), o selo Dia Nacional de Ação de Graças (1976), a série Folguedos e Bailados Populares (1981) e o bloco Literatura de Cordel - Lubrapex 86 (1986).
Observação: É controverso o fato da Suíça ter lançado o seu selo antes do Brasil, pois era de uso regional e não de circulação nacional.
Quais são os principais tipos de selos?
Os 69 selos do Brasil império constituem a base de nossa filatelia e os filatelistas os chamam de regulares ou principais. Estas emissões existem até os dias de hoje, sendo que muitos selos foram editados visando atender à diversas necessidades postais.
Podemos destacar como exemplos os selos para jornais, que a partir de 1889 eram destinados ao envio de jornais e revistas. Eram selos de uso exclusivo dos Editores e Jornalistas. Foram sobretaxados em 1898/99 e passaram a ser selos regulares.
Outros tipos de selos são:
Selos para franquia telegráfica - A partir de 1869, indicavam o valor pago pela mensagem telegráfica.
Selos de guerra - Para a campanha do Paraguai, que indicavam a isenção de porte dos soldados em campanha.
Selos de taxa devida (multa) - Indicavam o valor a ser pago pelo destinatário no caso do sub-porteamento por parte do remetente.
Selos comemorativos - A partir de 1900 passaram a ser emitidos até os dias de hoje.
Com relação aos selos diferenciados, quais são os principais tipos?
Bloco Comemorativo: Conjunto de um ou mais selos emitidos para assinalar um acontecimento especial, impressos em pequena folha, que pode ser usado no todo ou em parte, no porteamento de correspondência.
Selo Comemorativo: Emissão temática que registra fatos, datas, eventos de destaque e homenageia personalidades, em âmbito nacional e internacional.
Selo Especial: Emissão temática não-relacionada a comemorações ou eventos específicos, voltada à demanda filatélica nacional e internacional.
Selo Ordinário: Emissão não comemorativa, de tiragem ilimitada e prazo de circulação indefinido.
Cartela Temática: Peça produzida em papel cartonado, ilustrada com motivos de selos e que reúne emissões específicas relacionadas a temas de grande apelo para os colecionadores ou compradores eventuais. Pode ser personalizada com marcas de empresas ou outras instituições que desejem transformar o produto em brinde.
Coleção Anual de Selos: Conjunto de todos os selos emitidos anualmente, organizado em álbum com capa ilustrada com motivos alusivos às emissões do ano de referência, contendo breve texto sobre as mesmas. Tem grande aceitação no exterior, devendo ser oferecida, preferencialmente a clientes que realizem negócios fora do país.
Coleções Temáticas: Conjunto composto por selos e peças filatélicas relacionadas a determinado tema. Podem ser desenvolvidas a partir de temas sugeridos pelos clientes para fins promocionais, com a inserção da marca ou mensagens institucionais. Opção para brinde em ocasiões especiais, como: final de ano, visitas técnicas ou de cortesia.
Como iniciar uma coleção de selos?
Diversas são as maneiras de se iniciar uma coleção. Uns iniciam com selos retirados das correspondências da família ou recebidos como herança de algum parente filatelista que deixou uma coleção. Outros começam comprando os selos nas Agências dos Correios ou em casas comerciais especializadas. Na hora de decidir como você vai montar sua coleção de selos, é preciso criatividade para pensar como ela será desenvolvida. Você pode escolher o tema que mais gostar: esportes, artes, cidadania, ecologia, personalidades, meios de transporte, aviação, fatos históricos, educação, dentre outros, e ilustrar a coleção com selos do Brasil e de outros países. Para ser um bom colecionador, é fundamental que você conheça, também, um pouco da história das comunicações e do selo postal. Assim, na hora de conversar com seus novos amigos, você não ficará de fora e entenderá tudo o que é comum ao bate-papo de um grupo de amigos do selo.
O que devo saber para colecionar selos?
1. Não pegue os selos com as mãos. Use sempre uma pinça. Guarde-os com todo cuidado, pois são peças valiosas para sua coleção. Juntamente com a pinça, a lupa ou lente são os símbolos da filatelia. Uma boa lente de aumento serve para examinar cuidadosamente os selos e demais peças filatélicas, procurando com isso descobrir as variações nas cores, pequenos defeitos, erros de impressão, dentre outros.
2. Nunca arranque um selo usado do envelope. Encha uma vasilha com água até a metade e coloque os pedaços de envelope com selos de cabeça para baixo. Em alguns minutos, os selos começarão a desgrudar dos envelopes. Vá retirando-os com a pinça, um a um, e colocando-os com a face virada para baixo, em cima de uma folha de jornal, para que sequem.
3. Depois de secos, pegue um a um e verifique se os picotes estão perfeitos. Os selos não podem estar rasgados ou cortados, nem raspados no verso. Separe os estragados daqueles que estão em perfeito estado.
4. Se o selo for auto-adesivo, ele deve ser recortado do envelope com uma margem de segurança, para não correr o risco de estragar.
5. Ao destacar um selo, cuidado para não estragar os picotes.
6. Para guardá-los, adquira um álbum próprio, chamado de classificador, numa loja de comércio filatélico. Existem diversos tipos de álbuns, de todos os tamanhos, com folhas soltas ou não, em folhas brancas ou quadriculadas. Alguns já vêm ilustrados com a estampa do selo,facilitando o trabalho dos colecionadores. Coube ao francês Justin Lallier,em 1862, idealizar o primeiro álbum que foi publicado com o título Timbres Postales.
7. Não cole os selos em cadernos ou em outro material. Adquira os suportes adequados Hawid (uma proteção de plástico que tem uma das tiras transparente e a outra (fundo) na cor preta que forma uma bolsa protetora onde são colocados os selos) nas lojas de comerciantes filatélicos. Esse acessório é vendido em todas os tamanhos.
8. Procure saber como outros colecionadores cuidam de suas coleções e como fazem para obter ou comprar selos diferentes, às vezes raros.Associe-se a um clube filatélico, para manter contato com outros colecionadores.
9. Anualmente, centenas de selos são colocados à venda pelas administrações postais de todo o mundo. Os selos pertencem às mais diversas séries com os mais variados temas. Diante disso, torna-se impossível ao colecionador, por mais experiente que seja tomar conhecimento de todos os selos emitidos, esta é a principal razão que o colecionador deve ter sempre em suas mãos um Catálogo de Selos, onde encontrará todos os selos emitidos em ordem de data, emissão, valores e preços.
Produtos Relacionados
Artigos Militares
Bonecos/Personagens e Acessórios
Cédula/Moeda de Coleção
Miniaturas Colecionáveis
Modelismo
Outros Artigos Colecionáveis
Obtida de http://www.wiki2buy.com.br/Selo
Categoria: Guia de Compras